4 de novembro de 2014

Como levar os pais para Deus?

familie
“Quanto mais difícil for para você, jovem, amar e honrar os seus pais, por causa dos seus defeitos, tanto mais você terá méritos diante de Deus e tanto mais será recompensado e abençoado.”
É impressionante notar como Deus valoriza a figura dos pais por causa da missão importantíssima de gerar e educar os filhos. O destaque aos pais começa pelo fato de um dos Mandamentos, o quarto, ser dedicado a eles: “Honrar pai e mãe”. Algo muito sério.
São Paulo nota que “este é o primeiro mandamento que “vem acompanhado de uma promessa”: “Honra teu pai e tua mãe, para que sejas feliz e tenhas vida longa sobre a terra” (Dt 5,16; Ef 6,2). “Honra teu pai e tua mãe, para que os teus dias se prolonguem na terra que o Senhor, teu Deus, te dará” (Ex 20,12).
Perceba como Deus abençoa copiosamente  o filho que ama e honra os pais. Fazendo eco a essas palavras o Papa João Paulo II, diz na Carta às Famílias:“Honra o teu pai e a tua mãe”, porque eles são para ti, em determinado sentido, os representantes do Senhor, aqueles que te deram a vida, que te introduziram na existência… Depois de Deus são eles os teus primeiros benfeitores… E por isso: honra os teus pais! Há aqui uma certa analogia com o culto devido a Deus” (CF, 15).
São Paulo exige: “Filhos, obedecei a vossos pais segundo o Senhor: porque isto é justo” (Ef 6,1). O Livro da Bíblia do Eclesiástico mostra a importância dos pais na vida dos filhos:
“Ouvi, meus filhos, os conselhos de vosso pai, segui-os de tal modo que sejais salvos” (Eclo 3,2).
“Quem honra sua mãe é semelhante àquele que acumula um tesouro. Quem honra seu pai achará alegria em seus filhos, será ouvido no dia da oração” (v. 5 e 6).
“Quem honra seu pai gozará de vida longa… (v.7).
“Quem teme o Senhor honra pai e mãe. Servirá aqueles que lhe deram a vida como a seus senhores”.
“Honra teu pai por teus atos, tuas palavras, tua paciência a fim de que ele te dê a sua bênção” (v.9 e 10).
“A bênção do pai fortalece a casa de seus filhos, a maldição de uma mãe a arrasa até os alicerces” (v.11).
“Meu filho, ajuda a velhice do teu pai, não o desgoste durante a vida”  (v. 14).
“Se seu espírito desfalecer sê indulgente, não o desprezes porque te sentes forte, pois tua caridade para com o teu pai não será esquecida”  (v. 15).
“…por teres suportado os defeitos de tua mãe, ser-te-á dada uma recompensa: tua casa tornar-se-á próspera na justiça, lembrar-se-ão  de ti no dia da aflição; teus pecados dissolver-se-ão como o gelo ao sol forte” (v. 16 e 17). Deus sabe que  os seus pais também têm defeitos.
Tenho trabalhado com jovens; e sei que muitos sofrem por causa dos problemas dos pais. No entanto, por amor a Deus, na força do Espírito Santo, tenho visto muitos jovens superarem os ressentimentos causados pelos pais; muitos até têm contribuído decididamente para a conversão dos pais e a mudança de suas vidas.
Quanto mais difícil for para você, jovem, amar e honrar os seus pais, por causa dos seus defeitos, tanto mais você terá méritos diante de Deus e tanto mais será recompensado e abençoado. Se seu pai ou sua mãe estão longe de Deus, leve-os para Ele. Antes de tudo com amor, carinho, sem pressa e sem pressão ou chantagem. Tenha paciência.
O melhor caminho é o da amizade com eles e o seu testemunho cristão. Quando seu pai, ou mãe, perceber o seu comportamento correto, sua bondade, humildade, desprendimento, pureza, mansidão com eles, etc., então, Deus começará a tocar a alma deles, pode crer.
Acima de tudo reze muito por eles; em cada Missa, em cada Terço, em cada Comunhão, suplique a Deus a conversão deles. Não é possível que Deus não ouça a sua oração de filho!
Ofereça também a Deus todo sofrimento que a vida lhe apresentar: o cansaço do trabalho, dos estudos, os problemas da família, os defeitos deles, acolha tudo com alegria cristã (Fil 4,4) e ofereça a Deus pela conversão deles. Isso funciona como uma alavanca espiritual. Arquimedes dizia que com uma alavanca moveria o mundo.  Com oração, jejuns, mortificações, etc., você pode mover as pedras que o impedem de chegar a Deus. Na medida em que Deus lhes abrir o coração, leve-os aos Encontros, a um grupo de oração, a rezar um Terço com você, a assistir uma Missa… aos poucos eles irão se aproximando de Deus. E você terá alegrado muito o Pai do céu.
Prof. Felipe Aquino

Nenhum comentário:

Postar um comentário