1 de maio de 2015


Teresa Neumann (1898 – 1962) nasceu em Konnersreuth, na Alemanha numa família muito humilde. Aos 20 anos após um acidente acabou lesionando a coluna, permanecendo acamada por alguns anos em meio ao sofrimento, se recuperou através da intercessão de Santa Teresinha do Menino Jesus de quem era devota. No entanto, após algum tempo passou a ter visões da Paixão de Cristo e então recebeu os estigmas (feridas ou marcas no corpo correspondentes às chagas sofridas por Cristo na cruz – nas mãos, pés e flancos). Durante muitos anos após esses acontecimentos, pareceu ter visões da Paixão todas as semanas. Ela possuía várias chagas, e suas mãos, pés, flanco e testa sangravam. Muitas vezes, seus olhos também vertiam sangue. Foi a primeira mulher estigmatizada do Século XX, estigmas que duraram por 36 anos, até a sua morte. O seu único alimento foi a Eucaristia e por isso a autoridade nazista, durante a guerra, retirou-lhe o subsídio alimentar, mas concedeu um ração dupla de sabão para lavar as roupas que todas as sextas-feiras se empapavam de sangue, quando em êxtase recebia as marcas da Paixão de Cristo. Hitler tinha muito medo de Teresa e ordenou: “não toquem nela

Nenhum comentário:

Postar um comentário