14 de outubro de 2016

Maria nunca desampara seus filhos, disse Cardeal ao recordar a Virgem Aparecida

Segundo o ACI Digital, ao celebrar na quarta-feira, 12 de outubro, Nossa Senhora Aparecida, o Arcebispo de Aparecida (SP), Cardeal Raymundo Damasceno Assis, sublinhou a grandeza da intercessão de Maria, afirmando que Ela não abandona nenhum de seus filhos.
“Maria, Mãe de Deus, é a Mãe da misericórdia. Ela tem as chaves do coração de Deus, como afirmava o Papa Pio XII. A Ela podemos acudir a qualquer momento, cheios de confiança, pois nunca se ouviu dizer que alguém tenha recorrido a Ela e fosse por Ela desamparado”, declarou o Cardeal durante a Missa Solene celebrada no Santuário Nacional de Aparecida.
Neste ano, a novena da Padroeira teve como tema ‘O rosto misericordioso de Maria’, que, segundo Dom Damasceno, “foi escolhido em sintonia com o Ano da Misericórdia convocado pelo Papa Francisco”. “Deus é misericordioso, Deus é amor, afirma São João evangelista, e a sua misericórdia abraça todos os cantos da terra”, acrescentou.
O Arcebispo frisou ainda o significado especial da festa de Nossa Senhora Aparecida neste ano, pois “marca a abertura da celebração dos 300 anos do encontro da imagem de Nossa Senhora da Conceição, que recebeu depois esse carinhoso nome de Aparecida, imagem que foi encontrada em outubro de 1717 no rio Paraíba pelos três pescadores: Domingos Garcia, João Alves, Felipe Pedroso”.
A preparação para celebrar esta data, conforme lembrou Dom Raymundo, teve início em 2014, quando começou a peregrinação da imagem de Nossa Senhora Aparecida pelas Dioceses do Brasil, o que seguirá acontecendo até outubro do próximo ano.
Além disso, continuou, “a CNBB, com o intuito de incentivar toda a Igreja no Brasil a participar da celebração do tricentenário do encontro da imagem de Nossa Senhora Aparecida, instituiu o Ano Nacional Mariano que se inicia também hoje e que certamente muito contribuirá para aumentar o amor e a devoção a Nossa Senhora”.
“A Igreja no Brasil está convidada, durante o Jubileu e o Ano Mariano, a se unir em ação de graças a Deus pelos inúmeros benefícios que Ele por intercessão da Padroeira e Rainha do Brasil, tem derramado sobre o povo brasileiro ao longo desses 300 anos, na sua infinita misericórdia”, declarou.
O Purpurado recordou que “desde o início da evangelização no Brasil, a devoção à Maria tem sido uma porta aberta para o encontro com Jesus Cristo”.
Maria, explicou o Cardeal, “é a realização mais perfeita e a expressão mais concreta do Evangelho de Jesus Cristo”. Nesse sentido, assinalou que “aquele que permanece nessa escola de Maria aprende também a conhecer Jesus Cristo, a amá-lo, a imitá-lo, a testemunhá-lo em sua vida”.
“Este é o papel, a função e a alegria de Maria: conduzir todos os seus filhos a Jesus Cristo”, completou.
Durante todo o dia, foram celebradas várias Missas no Santuário de Aparecida, com a participação de milhares de romeiros. Para marcar a abertura do Ano Jubilar e do Ano Mariano, foram lançados um carimbo e uma medalha.
Participaram desse lançamento o cardeal arcebispo de Aparecida, Dom Raymundo Damasceno Assis, o reitor do Santuário Nacional, padre João Batista de Almeida e representantes dos Correios e da Casa da Moeda no Brasil.
O carimbo comemorativo será para as correspondências que saírem dos correios de Aparecida, pelo período de um mês. A medalha comemorativa em bronze, está à venda na loja do Santuário de Aparecida.

Nenhum comentário:

Postar um comentário