9 de dezembro de 2016

Papa: deixar-se atrair com alma de criança diante do presépio

 

Cidade do Vaticano (RV) - “As bolas coloridas que vocês criaram representam os valores da vida, do amor e da paz que o Natal de Cristo nos repropõe a cada ano”. Com um pensamento especial dirigido às crianças que confeccionaram as bolas de Natal que embelezam o pinheiro na Praça São Pedro, o Papa Francisco recebeu no final da manhã desta sexta-feira, na Sala Paulo VI, cerca de 1.500 pessoas representando os doadores da Árvore e do Presépio.

Ao agradecer aos Bispos e ao Governo da Ilha de Malta responsáveis pelo presépio assim como Associações e representantes da Arquidiocese da Província de Trento responsáveis pela árvores o Papa recordou que estes símbolos do Natal serão admirados na Praça São Pedro por peregrinos de todo o mundo, durante o Advento e as festividades de Natal.

 

Migrantes

 

O presépio montado na Praça São Pedro, obra do artista de Gozo, Manwel Grech, reproduz a paisagem maltesa e é completado pela tradicional Cruz de Malta e pelo “luzzu”, típica embarcação maltesa, “que recorda a triste e trágica realidade dos migrantes nas barcas que se dirigem à Itália”.

“Na experiência dolorosa destes irmãos e irmãs recorda o Santo Padre revemos aquela do Menino Jesus, que no momento do nascimento não encontrou abrigo e veio à luz na gruta de Belém, sendo depois levado ao Egito para fugir da ameaça de Herodes”.

 

Fraternidade e solidariedade

 

“Aqueles que visitarem este presépio serão convidados a redescobrir o valor simbólico, que é uma mensagem de fraternidade, de partilha, de acolhida e de solidariedade”, afirmou o Papa, recordando que “também os presépios montados nas igrejas, nas casas e em tantos lugares públicos são um convite a prepararmos um lugar em nossa vida e na sociedade para Deus, escondido no rosto de tantas pessoas que passam por dificuldades, pobreza e tribulações”.

 

Contemplar o Criador

 

Francisco recordou que a “beleza das paisagens” da cadeia de montanhas do Lagorai, de onde foi retirado o pinheiro, “é um convite para contemplar o Criador e a respeitar a natureza, obra de suas mãos. Somos todos chamados a nos aproximar da criação com estupor contemplativo”.

 

Espírito de Natal

 

O presépio e a árvore completa o Papa formam uma mensagem de “esperança e amor” e ajudam a “criar um clima natalício favorável para viver com fé o nascimento do Redentor, vindo à terra com simplicidade e humildade”.
“Deixemo-nos atrair com alma de crianças diante do presépio foi o convite do Papa porque ali se compreende a bondade de Deus e se contempla a sua misericórdia, que se fez carne humana para comover o nosso olhar”.

 

Inauguração do presépio e acendimento da árvore

 

O Presépio e a Árvore de Natal na Praça São Pedro serão inaugurados na tarde desta sexta-feira, pelo Presidente do Governatorato, Cardeal Giuseppe Bertello.
Durante a cerimônia que contará com a presença, entre outros, do Arcebispo de Malta, Dom Charles Scicluna e do Arcebispo de Trento, Dom Lauro Tisi a Banda do Corpo da Gendarmeria executará diversas canções de Natal.

 

Pinheiro e Presépio

 

O pinheiro de 90 anos, com 25 metros de altura, foi doado pela Província Autônoma de Trento. As bolas de Natal que o embelezam reproduzem trabalhos realizados em argila por crianças em tratamento em departamentos oncológicos de alguns hospitais italianos. A iluminação da árvore, por sua vez, usará um sistema de baixo consumo energético projetado por uma empresa austríaca.

O Presépio, por sua vez, foi doado pela Ilha de Malta. É a primeira vez que um país estrangeiro doa o tradicional símbolo natalino montado na Praça São Pedro.  A estrutura chegou ao Vaticano em dois contêineres, via mar.

 

Loteria do Papa

 

A atenção que o Papa reserva aos necessitados é expressa pela realização da IV edição da Loteria de Beneficência para as Obras de Caridade do Santo Padre, com os bilhetes sendo vendidos há algumas semanas, também online.

 

Terremoto

 

Ademais, com a autorização da Arquidiocese de Spoleto-Núrcia, foi transportado por Restauradores da Direção dos Museus Vaticanos o pináculo da Basílica de São Bento, em Núrcia ícone do terremoto que sacudiu diversas regiões da Itália Central e colocado ao lado do Presépio como sinal de partilha e solidariedade.

As ofertas que os peregrinos e turistas deixarem diante do Presépio e da árvore serão destinados à reconstrução do oratório paroquial da cidadezinha da Úmbria. (JE)

Veja mais no site da Rádio Vaticano: http://br.radiovaticana.va/

.................................................................................................................................


Nota de condolências pelo falecimento de dom Lélis Lara

 

Dom Lélis tinha 90 anos e era natural de Divinópolis (MG)

 

 

Dom Leonardo Steiner, secretário-geral da CNBB, enviou Nota de Condolências aos familiares, aos Missionários Redentoristas, a dom Dom Marco Aurélio Gubiotti e às comunidades da diocese de Itabira-Coronel Fabriciano pelo falecimento do bispo emérito, dom Lélis Lara.

Na Nota, dom Leonardo afirma que "inspirado por Santo Afonso Maria de Ligório, bispo e Doutor da Igreja, fundador de sua congregação religiosa, dom Lara era sempre uma presença alegre e esperançosa".

Dom Lelis Lara morreu na noite desta quarta-feira, 8 de dezembro, aos 90 anos de idade.

 

Leia a Nota:

Nota de condolências da CNBB pelo falecimento de dom Lélis Lara

 

 

A Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) manifesta tristeza e pesar pelo falecimento do bispo emérito da diocese mineira de Itabira-Coronel Fabriciano, Dom Lélis Lara, ocorrido no final da noite desta quinta-feira, 8 de dezembro.

Dom Lara iria completar 91 anos no próximo dia 19 de dezembro e sua vida foi um testemunho vibrante de paixão missionária pela Igreja. Inspirado por Santo Afonso Maria de Ligório, bispo e Doutor da Igreja, fundador de sua congregação religiosa, dom Lara era sempre uma presença alegre e esperançosa. Desde 1976, quando foi nomeado bispo auxiliar de Itabira-Coronel Fabriciano, ele sempre atuou em frentes importantes da ação evangelizadora da Igreja destacando-se pelo seu vigor e coragem.

Seu lema episcopal era “Caritas omnia credit” (A caridade tudo crê). Expressão da radicalidade do amor de Cristo. Projeto de vida e de apostolado. A mensagem do lema de dom Lara nos remete à palavra do apóstolo Paulo em sua primeira Carta aos Coríntios: “ao amor é paciente; é benfazejo; não é invejoso, não é presunçoso nem se incha de orgulho; não faz nada de vergonhoso, não é interesseiro, não se encoleriza, não leva em conta o mal sofrido; não se alegra com a injustiça, mas se alegra com a verdade. Ele desculpa tudo, crê tudo, espera tudo, suporta tudo” (1 Cor 13, 4-7).

Rezamos para que dom Lara tendo passado pela morte, participe do convívio dos santos na luz eterna. Enviamos nossa saudação fraterna aos familiares de dom Lara, aos Missionários Redentoristas, a Dom Marco Aurélio Gubiotti e a todas as comunidades da diocese de Itabira-Coronel Fabriciano.

Em Cristo,
Leonardo Ulrich Steiner

Bispo Auxiliar de Brasília (DF)
Secretário-Geral da CNBB

Veja mais no site da CNBB: http://www.cnbb.org.br/

.................................................................................................................................

 

Nota de falecimento de Dom Lélis Lara, bispo emérito de Itabira/Cel. Fabriciano

 

A diocese de Itabira/Cel.Fabriciano (MG) informa, com pesar, o falecimento do bispo emérito, dom Lelis Lara. O bispo faleceu na noite de ontem, 8 de dezembro.

Dom Lara estava internado no hospital metropolitano da Unimed, em Coronel Fabriciano, desde o dia 29 de novembro para tratar uma pneumonia. Conforme informações médicas, o quadro de saúde do bispo se agravou na tarde de quarta-feira, dia 7, pela piora da infecção. Os médicos informaram ainda que dom Lara foi induzido ao coma, para um melhor tratamento.

Um novo boletim médico emitido no dia 8, às 10h59, pelo Dr. Noberto de Sá Neto, coordenador da UTI, Unidade de Tratamento Intensivo, do hospital da Unimed em Cel. Fabriciano, informando que o caso do bispo emérito era gravíssimo, sendo que ele permanecia sedado e respirando com ajuda de aparelhos. Ao final da noite, com saúde ainda mais debilitada, o organismo de dom Lara não resistiu.

O velório de dom Lelis Lara será no Colégio Angélica (Rua Maria Matos, 128, Centro) em Coronel Fabriciano, e está previsto para iniciar às 11h desta sexta-feira, 9. O sepultamento também será em Coronel Fabriciano, conforme um dos pedidos do bispo emérito e está previsto para domingo às 10h.

Hoje, 9 de dezembro, às 19hrs haverá celebração da Santa Missa de Corpo Presente. Amanhã, 10, estão previstos a oração do Ofício dos Mortos às 15h, santo terço às 18h e Santa Missa as 19h. No domingo, data de previsão do sepultamento, haverá Santa Missa às 9h.

 

História de vida

 

Dom Lelis Lara, nasceu em Divinópolis - MG, em 19 de dezembro de 1925, filho de Joaquim Martins Lara e Maria José Lara. Cursou o 1º grau (1934-1937) em Divinópolis e no dia 02 de março de 1938, ingressou no Seminário da Congregação Redentorista em Congonhas (MG), onde cursou o 2º grau (1938-1944) e se preparou para a vida religiosa.

Após o 2º grau em 1945, transferiu-se para Juiz de Fora (MG), no Seminário da Floresta, onde realizou a Profissão Religiosa em 02 de fevereiro de 1946 e, deu prosseguimento aos estudos, graduando em Filosofia e Teologia (1946-1915). A 28 de janeiro de 1951 foi ordenado Diácono. Ao término dos estudos, foi ordenado Padre, em Juiz de Fora, em 02 de fevereiro de 1951. Celebrou a 1ª Missa solene a 13 de maio de 1951 em sua terra natal.

Foi professor em Gongonhas de 1952 a 1954. Em 1954, Dom Lara viajou para Roma para estudar na Pontifícia Universidade Gregoriana e Angelicum, onde concluiu estudos de Nível Superior em Direito Canônico, Espiritualidade e Música. Doutorou-se em Direito Canônico, no ano de 1958. Nesse período escreveu sua Tese de Láurea: “De Requisitis in subiecto ordinationis ab Ecclesiae Exordiis Usque ad Conc. Nicaenum”.

De volta ao Brasil, em 1958, passou um ano em Missões e em 1959, dom Lara assumiu a Cátedra de Direito Canônico, Liturgia e Espiritualidade no Seminário Maior Redentorista de Juiz de Fora, onde foi diretor espiritual e reitor do Seminário, permanecendo até 1970.

Em 14 de janeiro de 1971, Dom Lara recebeu nova missão: unir-se à Comunidade Redentorista de Coronel Fabriciano (MG). A 19 de março de 1974 foi nomeado Vigário Episcopal do Vicariato III, integrando à equipe de coordenação pastoral diocesana. Começou uma nova vida pastoral, com novas missões.

Até 1976 foi Vigário Episcopal e Pároco da Paróquia São Sebastião de Cel. Fabriciano. Nesse período, lecionou no colégio Imaculada (dos Redentoristas), e, posteriormente, no Seminário de Mariana e Seminário Diocesano.

No dia 06 de dezembro de 1976, foi nomeado bispo auxiliar da diocese de Itabira-Coronel Fabriciano pelo Papa Paulo VI. No dia 02 de fevereiro de 1977, em Coronel Fabriciano, foi sagrado pelo Bispo Diocesano Dom Mário Teixeira Gurgel. Tendo como lema “Caritas omnia credit” (A caridade tudo crê - 1Cor. 13,7).

Preocupado e sensibilizado com a questão social das crianças e adolescentes sem referência familiares e abandonados, Dom Lara criou uma instituição onde pudesse abrigar e educar esses jovens. Assim, em 06 de maio de 1971, criou a Fundação Comunitária Fabricianense - FUNCELFA. Em 06 de dezembro de 1976, deu início à “Cidade do Menor”, entidade ligada a FUNCELFA, para abrigar crianças e adolescentes. Na data de sua ordenação episcopal, 02/02/1977, foi a primeira noite que 16 meninos dormiram na “Cidade do Menor”, hoje, “Cidade dos Meninos”.

Na sua caminhada como bispo auxiliar de Itabira-Coronel Fabriciano, Dom Lara permaneceu a serviço de toda a Diocese, não se eximindo das funções anteriormente assumidas, além da sua ativa participação nas questões mais prementes e conflitantes da Região do Vale do Aço, agindo sempre em favor dos direitos humanos. Participou dos programas na TV Universitária de Coronel Fabriciano e na Rádio Educadora de Coronel Fabriciano, Rádio Milícia da Imaculada de São Paulo. Também teve participação nos programas da TV Cultura, em Itabira.

Em 1977, Dom Lara se integrou à Conferência Episcopal do Regional Leste 2 (Minas Gerais e Espírito Santo) da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil - CNBB. Nas Assembleias da CNBB se fez presente assumindo funções de grande importância para o conjunto do Episcopado Brasileiro, como também para os fiéis e população brasileira, tais como trabalhar nas Comissões de estudos sobre a conjuntura nacional. Em 1991 assumiu o Colégio Técnico Pe. De Man e 1992, o Instituto Católico de Minas Gerais - ICMG, sucessor da PUC - Campus de Coronel Fabriciano. Dom Lara foi nomeado Grão Chanceler da Sociedade Educacional União e Técnica - SEUT, mantenedora do ICMG, declarado Centro Universitário UNILESTE aos 06 de junho de 2000.

Em 06 de dezembro de 1995, nomeado Bispo-coadjutor e, em 22 de maio de 1996, tornou-se o 3º Bispo Diocesano da Diocese de Itabira-Cel. Fabriciano, pela Renúncia de Dom Mário Teixeira Gurgel. Em 23 de junho de 1996, assumiu a Diocese - “transmissão do báculo”. Em 1998, Dom Lelis Lara foi nomeado Moderador do Tribunal Eclesiástico do Regional Leste 2, da CNBB, sediado em Belo Horizonte.
Enquanto bispo diocesano, Dom Lara foi presidente da Irmandade Nossa Senhora das Dores em Itabira, por força do Estatuto da Irmandade. Também presidente da TV Universitária de Coronel Fabriciano, hoje TV UNI. Em 2001, lecionou Direito Canônico no Instituto Teológico Cura D’Ars, em Itabira-MG.

Em 30 de março de 2003, pela sua renúncia, passou o báculo para Dom Odilon Guimarães Moreira, seu sucessor 4º Bispo da Diocese de Itabira-Cel. Fabriciano. Manteve programas na TV e rádios, em Itabira e continua mantendo em Coronel Fabriciano, onde reside atualmente. É o presidente da Sociedade Dom Bosco de Comunicação de Coronel Fabriciano, entidade mantenedora da TV UNI do Vale Aço.
Também é membro da Diretoria da União Brasileira de Educação e Cultura - UBEC, entidade mantenedora do Centro Universitário do Leste de Minas Gerais - UNILESTE, como também da Universidade Católica de Brasília e Faculdades Católicas de Palmas (TO). É presidente da Cáritas Diocesana.
Homem apaixonado pela música. Trouxe para Coronel Fabriciano um órgão holandês, instalado na Catedral da cidade; fundou o ICMG, mantenedor da universidade local, a TV Universitária, mantendo programa de música erudita na rádio Educadora de Coronel Fabriciano.
Foi assessor Jurídico da CNBB e segundo vice-presidente da UBEC, Universidade Brasiliense de Educação e Comunicação, que mantém cursos da UNILESTE - Centro Universitário do Leste de Minas Gerais.

 

Publicou:

 

Tese de Láurea intitulada “De Requisitis in subiecto ordinationis ab Ecclesiae exordiis usque ad Conc.Nicaenum” - Edição bilíngüe (Latim - Português).  - Cadernos de Direito Canônico - Publicação periódica em forma de cartas.  - Artigos avulsos em periódicos e jornais, sobretudo da região. Além dos trabalhos desenvolvidos ligados à área de educação, na Diocese e em Brasília-DF, Dom Lara atende àqueles que o procuram, celebra nas diversas paróquias da Diocese, representa o bispo em algumas ocasiões, contribui na formação das lideranças pastorais, assessora encontros, retiros fora da Diocese e ainda dedica parte do tempo redigindo artigos e exercendo música instrumental.

Fonte: Departamento de Comunicação - Diocese de Itabira-Cel. Fabriciano
Veja mais no site do Regional Leste 2: http://www.cnbbleste2.org.br/

.................................................................................................................................

 

Viver para anunciar o Evangelho

 

Na vida missionária é possível ser útil mesmo estando doente, idoso ou fisicamente limitado

 

Hoje é aniversário do padre Savio Corinaldesi. O missionário xaveriano completa 80 anos de vida. Uma vida dedicada à missão e um carinho especial pelo Brasil.

Padre Savio é italiano e chegou ao Brasil em 1968 com o objetivo específico de viver e anunciar o Evangelho. Trabalhou por 34 anos nas dioceses de Belém e Abaetetuba (PA) e na prelazia do Xingu. De março de 1985 a junho de 1987, foi diretor do Centro de Formação Intercultural (Cenfi), em Brasília (DF). Mais tarde ocupou o cargo de superior dos xaverianos da Amazônia e foi secretário executivo do Regional Norte 2 da CNBB.

O sacerdote começou seu trabalho na sede das Pontifícias Obras Missionárias (POM) em 2002, como secretário nacional da Infância e Adolescência Missionária (IAM). Após 13 anos a serviço das POM, contribuindo em diversos trabalhos, padre Savio encerrou suas funções na equipe nacional das POM no final de 2014 e voltou a Belém, sede da Região do Brasil Norte da sua congregação.

Hoje padre Savio está na Itália, na Casa Mãe dos missionários xaverianos, em Parma, em tratamento de saúde, junto com outros missionários idosos e enfermos.
Por ocasião do aniversário do padre Savio, alguns amigos pediram uma bênção especial do Papa Francisco, que respondeu com esta carta:

 

“Reverendo Padre,


Com pensamento solícito e delicado, o casal Sergio e Alzira Rossin informaram o Papa Francisco da experiência passada a serviço dos pobres e dos últimos que o senhor levou a cabo na missão de seu Instituto na Amazônia, bem como a alegre ocasião da passagem do seu 80º aniversário, solicitando para o senhor o dom da sua Bênção.
Profundamente comovido com o que soube, o santo padre agradece-lhe a paixão pelo Evangelho, e o generoso serviço realizado nas “periferias existenciais” manifestando o rosto misericordioso de Jesus para com os irmãos mais pobres entre os pobres.

Ao mesmo tempo, Ele, ao garantir a sua proximidade paternal, recomenda que coloque com confiança qualquer tribulação “sob o manto de graças de Nossa Senhora”, sem nunca se cansar de invocar conforto e esperança, através da intervenção daquela que é a Virgem poderosa, porque “a intercessão de Maria nos faz experimentar o consolo de Deus Pai misericordioso e Deus de toda consolação” (Mensagem aos doentes, 15 de setembro de 2015).

Enquanto lhe garante a sua recordação constante na oração, o Papa Francisco pede o favor de fazer o mesmo para ele, e de coração concede a implorada Bênção Apostólica, que de bom grado estende à comunidade e aos seus entes queridos, acompanhando este gesto com o presente que vai em anexo e que foi especificamente abençoado com a esperança de que o Espírito Santo o sustente com o poder transformador dos seus dons inefáveis. Com sentimentos de estima”. (Mons. Paolo Borgia, assessor do Papa Francisco).

Com seu estilo de vida simples, padre Savio fez um agradecimento. “Agradecendo a Deus e aos que cuidaram de mim, no Brasil e agora na Itália, posso dizer que, dentro do quadro de fragilidade típica da idade e da doença, vou vivendo na paz, administrando a saudade que se renova a cada dia”.

Ao perceber que o mal de Parkinson se tornava sempre mais exigente, padre Savio costumava dizer: “na vida missionária é possível ser útil mesmo estando doente, idoso ou fisicamente limitado”. Como missionários, “pertencemos a uma raça de pessoas que, pela graça de Deus, produz frutos também quando pregados numa cruz”.

Veja mais no site da POM: http://www.pom.org.br/

Nenhum comentário:

Postar um comentário